segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

VITAMINA B- 17

VITAMINA "B17" ou LAETRILE  ou AMIGDALINA

Esta vitamina é uma forma purificada da substância que é encontrada no interior das sementes de damasco.

Ajuda a aumentar a resistência ao câncer, revigora as células, desintoxica o organismo e melhora a oxigenação dos órgãos.


A viamina B17 ou Laetrile , é derivado da amigdalina , uma substancia vegetal , encontrada naturalmente no interior de castanhas e sementes de diversas frutas , especialmente do damasco, pêssego, grãos ; incluindo feijão , trevo e sorgo .outras fontes : amêndoas cruas , aipo , broto de feijão , aipo , nozes . Se recomenda a  ingestão das  sementes dessas frutas mencionadas
A vitamina B17 vem de algo totalmente natural, sementes de damasco.
Sim, isso mesmo, vitamina B-17 é um produto natural.


As tribos e populações inteiras que têm esse hábito ,  apresentam baixíssimas taxas de incidência de câncer. Segundo eles, sete sementes de damasco  por dia bastam para prevenir a doença. Tapioca também teria muita B17.

Terapia nutricional

A vitamina B17 , junto com Vitamina A e altas doses de Vitamina C fazem parte do tratamento nutricional sinérgico  anti câncer .

Vitamina B-17 reage com uma enzima nas células cancerígenas, o que, na realidade, destrói o câncer.
+  altas doses de  Vitamina C ( acido ascórbico ), um  poderoso anti-oxidante  que atua como “vassoura de radicais livres “ , protegendo o organismo .
+ vitamina A (retinol)  presente nas cenouras, frutas vermelhas e laranja, gemas de ovos e lacticínios. A vitamina A protege e mantém saudáveis os olhos e a pele, fortifica o sistema imunológico, e é um poderoso anti-oxidante .Ela melhora a eficiência metabólica. 

A Silimarina ( do carduus marianuus) , e outros minerais como o zinco, que transporta vitamina B-17 para o tumor , são  um complemento indispensável neste tipo de terapia .

Damascos    e sua história 


Os damascos são umas das maravilhas pouco conhecidas do reino das frutas. Apesar de serem essencialmente uma fruta de verão, eles são facilmente encontrados, enlatados ou secos, durante o ano inteiro. Os damascos secos apresentam uma grande quantidade de ferro e fibras.

Os damascos são uma das melhores fontes de vitamina A, devido à presença de beta-caroteno. Eles também são uma excelente fonte de vitamina E, B2 (riboflavina), vitamina C e licopeno. 
Os damascos secos são ainda mais nutritivos, pois contêm todas estas vitaminas em doses concentradas.Entretanto, a parte mais interessante do damasco é seu próprio caroço.

Os melhores damascos do mundo vêm de Hunza, no Paquistão, onde os moradores têm uma boa saúde. A população de Hunza é considerada uma das mais saudáveis do mundo, com uma expectativa de vida de mais de 100 anos, e praticamente sem nenhum histórico de câncer. Seus habitantes mantêm uma boa forma sendo ágeis e ativos, física e mentalmente, e mesmo os mais idosos continuam praticando esportes, lado a lado, com pessoas bem mais jovens. 

A dieta destes paquistaneses consiste, naturalmente, de muitos damascos, sejam eles frescos ou secos. Também utilizam seu óleo para cozinhar e em loções faciais, e costumam comer os caroços, picados ou moídos, misturados com mel. A longevidade e a boa forma da população de Hunza foram atribuídas às altas concentrações de vitamina B17, conhecida como amidalina ou laetrile na sua forma pura, encontradas dentro do caroço do damasco, e que ajudam na prevenção do câncer. 

Os habitantes de Hunza consomem, por dia, entre 50-75mg  desta vitamina, e praticamente inexistem ocorrências de doenças do coração, pressão alta e colesterol. As sementes também são ricas em proteínas e gorduras. Outras fontes de amidalina são as amêndoas amargas, as sementes das maçãs, as sementes de uva, o painço (ou milho miúdo), as favas e outras sementes e grãos. 



Fonte:  site 
www.apricotsfromgod.com.




Qual é a história da descoberta e uso de laetrile como um tratamento complementar ou alternativa para o câncer?
Amygdalin foi isolado pela primeira vez em 1830 e foi usado como um agente anticancerígeno na Rússia já em 1845. Seu primeiro gravado uso nos Estados Unidos como um tratamento para o cancro foi na década de 1920. A forma de pílula precoce de amygdalin foi encontrado para ser muito tóxica , e trabalhar com o composto foi interrompido. Na década de 1950, um alegadamente não tóxico forma, em parte sintético do amygdalin foi feito e patenteado nos Estados Unidos como Laetrile. Laetrile ganhou popularidade na década de 1970 como um único agente anti-cancerígeno e como parte de uma terapia metabólica programa que incluiu um especial dieta , de alta dose de vitaminasuplementos e enzimas pancreáticas (um grupo de proteínas que ajudam na digestão dos alimentos). Em 1978, mais de 70.000 pessoas nos Estados Unidos alegadamente tinham sido tratados com Laetrile.
Em 1980, a Suprema Corte dos EUA manteve a proibição da expedição de laetrile entre os estados nos Estados Unidos. Ele ainda é usado no México e em algumas clínicas nos Estados Unidos.
1.      Qual é a teoria por trás da alegação de que laetrile é útil no tratamento do câncer?
Cianeto é pensado para ser o principal ingrediente anticancerígeno em laetrile. Dois outros produtos de degradação de amigdalina, prunasina (que é semelhante em estrutura ao Laetrile) e benzaldeído , pode também ser o cancro de células bloqueadores. As seguintes teorias têm sido propostas para apoiar o uso de laetrile para o câncer:
o    Duas das teorias indicar que o equilíbrio de certas enzimas em células cancerosas permite laetrila ser tóxico para as células cancerosas. Existe alguma evidência de que normais tecidos e malignas tecidos têm diferentes quantidades destas enzimas.
o    Outra teoria diz que o cancro é o resultado de uma vitamina deficiência e que laetrila, ou "vitamina B-17", é a falta de vitamina necessário pelo organismo para restabelecer a saúde. Atualmente, não há evidências de que laetrile é necessário pelo corpo ou que laetrile pode agir como uma vitamina em animais ou humanos.
o    A quarta teoria afirma que o cianeto libertado por laetrile tem um efeito tóxico que resulta em matar as células cancerosas e impedi-los de crescer. A teoria afirma também que o dano para as células provoca um impulso para o sistema imunológico .